Por quê as empresas falham no Brasil?

Atualizado: Ago 21

É normal que ao iniciar uma empresa, os gestores sempre pensem no seu crescimento e como fazê-la “decolar” no mercado, não pensando assim na hipótese de fracasso, e esse talvez seja um dos principais motivos para que o fracasso de fato ocorra em diversas empresas no Brasil. O fato de não pensar nessa possibilidade faz com que alguns, ou muitos, planejamentos sejam mal efetuados, trazendo diversos problemas futuros.


A seguir falaremos sobre alguns deles em diversas situações.



Para a criação e gestão de uma empresa é necessário entender e validar os reais motivos para sua criação, que garantirão um primeiro passo válido para o seu funcionamento. É comum que a criação de pequenas e médias empresas, principalmente, sejam influenciadas por alguns “mitos do empreendedorismo”, como por exemplo: ter sua própria empresa trará independência financeira ou ser um empreendedor é mais fácil que trabalhar em horário comercial. Ou também, por decisões precipitadas, como um amigo ou membro da família oferecendo parceria na criação de um negócio e ainda infelicidade no trabalho atual.


Além de motivos equivocados para a criação de empresas, que levam à uma falta de noção e preparo de gerenciamento do negócio, existem muitos outros motivos que culminam a um mal desempenho de empresas brasileiras.


No que diz respeito as práticas de gerenciamento equivocadas, muitos negócios, ao serem criados, acabam designando o empreendedor como líder e/ou gestor, o que, grande parte das vezes, dá errado, pois empreendedores não necessariamente são bons líderes ou bons gestores. É necessário alguém com conhecimento apropriado na área para que possa fazer a gestão de maneira mais assertiva possível. Alguns equívocos comuns no gerenciamento são:

  • Um mal gerenciamento de tempo, sem saber lidar com a prioridade e relevância de na aplicação de tarefas;

  • A falta de um plano de negócios adequado, que contenha uma boa estruturação de planejamento estratégicos diante de curtos, médios e longos prazos;

  • Uma falta de coerência e cuidado na contratação de funcionários. É essencial manter funcionários que estejam engajados e alinhados com os objetivos do negócio, uma vez que eles são parte essencial para levar a marca da empresa adiante.

  • Gerenciamento de clientes e vendas mal executado. É muito significante manter a conquista de um cliente em um mercado tão competitivo como o atual, isso se relaciona diretamente a manter atualizações de novas tendências que impulsionam as vendas gerando potenciais novos clientes e agradando os antigos.

  • Pouca organização em gestão financeira. A gestão financeira é um dos principais pontos do negócio. A negligência da contabilidade pode ser extremamente prejudicial, hoje em dia diversas ferramentas tecnológicas podem ajudar muito nesse setor, planilhas e dashboards com gráficos e indicadores mapeados de planejamento.


Chegando em outro ponto que influencia muito no sucesso das empresas é o capital de giro, que é, basicamente, a quantidade de ativos líquidos necessários para a administração e expansão dos negócios. A falta de capital de giro é uma das razões mais comuns pela qual as empresas falham. É quase impossível uma empresa sobreviver sem capital de giro.


É necessário ter uma estimativa dos custos de início e permanência do negócio, e verificar a existência de capital inicial suficiente para cobrir suas despesas comerciais até gerar renda suficiente para se sustentar. Observamos aqui, a importância de um estudo meticuloso sobre as diversas possibilidades financeiras e seus riscos diante de diferentes situações.



Outro ponto que vale muito ressaltar é a necessidade de conhecimento de mercado. Muitas empresas com grande potencial deixam de ter sucesso por terem uma má localização ou um direcionamento ao público equivocado. Conheça o cliente, seu estilo de vida e o que procuram, qual a acessibilidade, o alcance e a segurança do negócio. A atenção aos detalhes é importantíssima.





Outra questão fundamental é a boa comunicação. Conheça os pontos de venda, seus produtos ou serviços e comunique-os aos seus funcionários e clientes, o empreendedor é o primeiro que precisa acreditar no que está vendendo e passar isso para o resto da cadeia. Não cumprir com essa questão resultará em um número insatisfatório de vendas, o que acontece em inúmeras empresas, principalmente nas iniciantes no mercado, e isso pode ser fatal.





Saiba como se relacionar com seu cliente e trabalhe para um direcionamento de marketing assertivo. Segmente os diversos perfis de compradores e entregue a cada um exatamente o que eles procuram consumir. Seja capaz de se comunicar com seu público. É válido seguir os famosos 3C’s da comunicação: clareza, concisão e conhecimento.




Por fim, o investimento e estudo da tecnologia para o setor é extremamente importante, principalmente na era em que vivemos. Há muito para ser explorado que pode alavancar e influenciar diretamente o posicionamento da empresa no mercado. No Brasil inúmeras empresas se tornam obsoletas por negligenciar as potencialidades da tecnologia e isso as torna ultrapassadas, deixando de ser a preferência do mercado. A tecnologia pode beneficiar todos os diferentes setores do negócio, inclusive todos os colocados como essenciais durante o artigo. Pesquise, planeje e invista de maneira adequada nas inúmeras ferramentas disponíveis.


Gostou da matéria? Identificou algum problema em seu negócio e não sabe como solucioná-lo? A Júnior FEA pode ter algo para te ajudar. Entre em contato com um de nossos consultores.



Autora

Clarice Pereira da Silva

Consultora de Projetos

Fale conosco
Tel: (16) 9 9772-4944 (11) 9 8219-1155

Rua das Paineiras, anexo da casa 9, Cidade Universitária - Campus da USP Ribeirão Preto,SP.

© 2018 por Caixa Criativa Soluções Digitais